É possível adubar com remédios homeopáticos?


Há muito já se preconiza substituir a adubação e calagem por remédios homeopáticos, já se tentaram alguns experimentos para demonstrar tal efeito sempre sem sucesso na tal adubação homeopática, mesmo assim existem indicações e há quem afirme que uma propriedade que use homeopatia não precise mais de qualquer calagem ou fornecimento de nutrientes. Será possível?


Sabemos que os remédios homeopáticos não tem elementos minerais nas potências acima de CH12 e nas potencias abaixo desta tem elementos minerais em quantidades insignificantes no que se refere a nutrição vegetal, é evidente que homeopatia não fornece nutrientes. Mas de onde vem esta ideia? É difícil saber o início disso tudo, mas acredito que vem principalmente de três motivações. Primeira pela busca do ideal de uma agricultura totalmente independente de insumos externos, tal ideologia parte da premissa que essa independência é essencial para a sustentabilidade da agricultura e por isso deformam a homeopatia em teorias metafísicas - que não podem ser comprovadas pela experiência - para preencher as lacunas de suas teorias. A segunda motivação é puramente a falta de conhecimento técnico, que por ignorância escolhem o caminho mais fácil ao invés de estudar as difíceis relações entre adubação, equilíbrio de nutrientes, correção de solo, física de solo, biologia de solo, disponibilidade de água entre outros fatores e preferem o caminho de tentar utilizar da homeopatia como uma espécie de mágica na prática da adubação, aonde chega-se a falar que um latossolo amarelo com predominância de óxidos de alumínio vão simplesmente diminuir os teores de alumínio pelo uso da homeopatia e que em solos arenosos com predominância de quartzo com falta de ferro vai subir o nível de ferro, é como se tudo no mundo tivesse sido criado para nos beneficiar e a homeopatia seria a ferramenta para atingir tais equilíbrios, e o interessante que sempre a explicação para isso é uma só: “A Homeopatia, é física quântica, é informação!”. A terceira motivação comum é a confusão entre homeopatia na agricultura e a agricultura Biodinâmica que não são a mesma coisa! Rudolf Steiner desenvolveu os preparados biodinâmicos com a finalidade de vivificar a compostagem para deixar estes nutrientes mais assimiláveis, neste modelo o preparado biodinâmico que em pouco se parece com homeopatia age nos microorganismos da compostagem, então tentam se reduzir toda a proposta complexa da biodinâmica em uma receita simplista de aplicar homeopatia Phosphorus para fornecer o elemento Fósforo, homeopatia Borax para fornecer Boro, é evidente que não existe toda essa mágica na homeopatia, tais ideias só induzem ao erro o usuário da homeopatia e estimula o preconceito das pessoas racionais que vão refutar toda homeopatia pela total falta de lógica da proposição da adubação homeopática.


O interessante de tudo isso é que a Homeopatia propriamente dita é uma doutrina de origem médica muito bem definida enquanto sua finalidade, forma de ação, terapêutica, e embora seja muito complexa por tratar grande quantidade de enfermidades muitas vezes de forma individualizada tem objetivos bem claros. Dr. Samuel Hahnemann* descreve nos primeiros parágrafos do Organon** que a finalidade da Homeopatia é restabelecer a saúde nos doentes o que se chama de curar. Tal afirmação não é uma ideologia ou ética pregada por Hahnemann na verdade se trata da verdade do fenômeno homeopático, Hahnemann propõe esta finalidade para a homeopatia pois é a única coisa que ela pode fazer por nós - curar - então por mais que mil pessoas digam que homeopatia aduba uma planta isto jamais vai acontecer, simplesmente não ocorre! E é comum dizerem, “mas se der certo vai ajudar tantos agricultores que não tem dinheiro para investir em adubos...” mas o fato de ter boa intenção não muda a realidade da natureza. O mundo não sai da frente!


Mas será que tem alguma observação de campo que pode dar a falsa impressão de que as plantas estão melhor nutridas pelo uso da homeopatia? Eis a verdadeira questão! Pelo uso da homeopatia acontece frequentemente das plantas apresentarem crescimento mais vigoroso, coloração mais intensa, maior produtividade, e também já observei em algumas plantas perenes que estavam debilitadas por alta produtividade terem uma melhora significativa na recuperação vegetativa, na produtividade e na diminuição dos sintomas visuais de deficiência o que pode enganar muitos por pensar que o problema de falta de nutrientes foi sanado. É preciso muito cuidado e monitoramento por análises foliares ao longo de safras para afirmar que homeopatia sanou uma deficiência, eu particularmente em 11 anos de atuação no campo com homeopatia nunca vi ocorrer, mas a deficiência nutricional travar o processo de cura do tratamento homeopático ocorre frequentemente e o próprio Hahnemann já escreveu sobre a desnutrição agir como obstáculo para que o processo de cura do organismo tratado com homeopatia ocorra. O que acontece é que a homeopatia certa vai agir no desequilíbrio das funções vitais das plantas e com isso age em uma planta que está nutricionalmente debilitada melhorando esta atividade mas não se pode confundir uma melhoria nos aspectos visuais da nutrição com o fornecimento do nutriente que está carente no sistema solo/planta.


Observações de campo em diversas lavouras de tomates orgânicos em diferentes solos com diferentes níveis de correção e fertilidade que o tratamento homeopático auxiliou as plantas a se adequar a realidade do local e produzir mantendo a saúde sem ataques intensos de pragas e doenças, mas a produtividade foi coerente com o nível de fertilidade do solo, plantas em solos mais férteis produziram mais. Nestas experiências são observadas que as plantas tratadas com homeopatia tendem a apresentar maior capacidade de translocação de nutrientes e de fotoassimilados das folhas para os frutos conseguindo assim tomateiros mais saudáveis com maior longevidade produtiva evitando a comum situação das plantas se infestarem de doenças quando se inicia o enchimento e maturação dos frutos.


É muito obvio de que homeopatia NÃO aduba a planta nem o solo. Outras questões ainda é cedo para uma convicta afirmação cabendo apenas algumas considerações:


Em um sistema tratado com homeopatia as plantas apresentando se com mais vitalidade teremos uma melhor resposta as adubações? Será possível em tais sistemas trabalharmos em níveis mais baixos de nutrientes com altas produtividades?


Acredito que as plantas com maior vitalidade que foram corretamente tratadas com homeopatia vão ter uma resposta mais eficiente as adubações e podem requerer doses menores de fertilizantes e corretivos para atingir altas produtividades por estabelecer melhor metabolismo e maior atividade simbionte com microorganismos benéficos, mas para que isso ocorra creio que o importante para a lavoura é que sejam fornecidos os nutrientes em proporções equilibradas além de uma adubação ampla com todos nutrientes essenciais e benéficos, também estas lavouras devem estar livre de excessos de calagem e livre de excesso de nutrientes aplicado via foliar seja por adubação adubações ou por caldas fitoprotetoras (Cobre e Enxofre), além de bons teores de matéria orgânica e atividade biológica que são fundamentais para ciclagem e disponibilização dos nutrientes para as culturas.


*Dr. Samuel Hahnemann - Médico Alemão fundador da Medicina Homeopática em 1810.


**Organon da Arte de Curar - Livro de Hahnemann sobre a exposição da Doutrina Homeopática.

10 visualizações

Posts recentes

Ver tudo